quarta-feira, 28 de novembro de 2012

"Tinha a sensação de estar vivendo num filme de Chaplin, mas sem a comédia.

Pinterest



A mim que desde a infância venho vindo
como se o meu destino
fosse o exato destino de uma estrela
apelam incríveis coisas:
pintar as unhas, descobrir a nuca,
piscar os olhos, beber.
Tomo o nome de Deus num vão.
Descobri que a seu tempo
vão me chorar e esquecer.


Adelia Prado


Viver :

Assobios do vento
Vozes penduradas
Porta- retratos
Invenção de riso
Criação de esquecimento


Denise Magalhães




Insisto que um dia partirei de trem; nunca, nunca de avião, nunca de ônibus, nunca de táxi. Partirei como nos  filmes antigos: na estação ferroviária, em pleno inverno, com sobretudo e chapéu de plumas. Entrarei na minha cabine e fumarei um cigarro, enquanto espero o cavaleiro à minha frente. Sonharei forte, como só se sonha na década de 50, com o trem apitando em  preto e branco.



do Blog Aeronauta






Diante de tanto
torpor,
estalo
o dedão do pé
para ter a certeza
de que
estou viva.


Vássia Silveira







Quando a gente se dá conta do que significa viver a primeira coisa que aprendemos é que vamos morrer, todos. Não seria isso uma grande brincadeira? Passo a passo continuamos, ocupados com o presente, planejando o que ainda vem. Ignoramos seus avisos.
O envelhecimento é a morte em vida, a limitação de tudo, até de sonhos. Mesmo aos que se recusam, um dia ele vem.
Sigo com minha tristeza embutida, forjo sorrisos, finjo que podemos ainda ser mãe e filha, e que sua mão macia vai estar sempre aqui para me afagar...
 


limelight - charlie chaplin


domingo, 18 de novembro de 2012

"Minhas mesmas emoções são coisas que me acontecem."

do Blog prosa e poesia




Era isso - aquela outra vida, inesperadamente misturada à minha, olhando a minha vida opaca vida com os mesmos olhos atentos que eu a olhava: uma pequena epifania. Em seguida vieram o tempo, a distância, a poeira soprando.

Caio Fernando Abreu


Gosto das belas coisas claras e simples
e das complexas,  obscuras
- que pedem investigação -,  densas; intensas;
das grandes ternuras e acolhimentos amorosos
que  se dão depois de muitas conversas,
que facilitam a compreensão
ou dos breves silêncios, que os definem;
gosto de quase tudo que advém do encontro
entre as almas afins ou que sabem discordar
com argumentação e raciocício crítico...
Enfim, gosto do que me faz sentir eu mesmo
 e do que me faz outrar - transformar-me num  outro,
simultaneamente igual e diferente de mim.


Ricardo Koefender


Que nada seja igual e nem tão certo.
Quero viver deste desconcerto.
Quero o peso das horas,rompido.
A chama  sendo alimentada
como luz sagrada - teu infinito.
Quero desprender tua vida
e soltar a minha até que
alcance - a direção.
Ser oásis marejando á tua íris
desfigurando a seca volúpia...
Quero, como te quero - insolúvel.
Recalcando horizontes,
despindo a inconstância da estória,
para que a nossa história concretize.


Patty Vicensotti


Não!
Por favor
Não ria
Não se mova
Não vire
Não estrague
Este momento!

Você
É o poema
Que estou
Lendo!


João Fernandes Lucho Melgrejo


A gente se encontrou no meio de uma manhã de sol, você cheio de sonhos eu com pressa de viver. Um anjo maroto nos colocou no meio do redemoinho, ou foi o destino? Os dois meio tontos sem saber o que estava acontecendo, batendo e ferindo, sangrando e curando, destruindo e se reconstruindo. Até que um dia eu cansei, gritei, deixei, e você acordou, abriu os olhos e sentiu o amor.Já era amor antes de ser...



 para e olha para mim - malu magalhães






quarta-feira, 7 de novembro de 2012

"Me queira, isso me basta, para me dar inteira"


túmulo do casal Cantarella em São Paulo




A minha vida toda

eu andei procurando-as.

Subi muitas escadas,

cruzei os recifes,

os trens me transportaram,

as águas me trouxeram,

e na pele das uvas

achei que te tocava.

De repente a madeira

me trouxe o teu contacto,

a amêndoa me anunciava

suavidades secretas,

até que as tuas mãos

envolveram meu peito

e ali como duas asas

repousaram da viagem

Pablo Neruda



Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto — pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente — e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia — para viver um grande amor.


Vinicius de Moraes




Quem ousará dizer que ele é só alma?
Quem não sente no corpo a alma expandir-se
até desabrochar em puro grito
de orgasmo, num instante de infinito?

O corpo noutro corpo entrelaçado,
fundido, dissolvido, volta à origem
dos seres, que Platão viu completados:
é um, perfeito em dois; são dois em um.


Carlos Drummond de Andrade



A experiência amorosa exige sacrifício. Não se ama para ser  recompensado. O amor é sua própria recompensa. Não resisto em citar Drummond falando da poesia coisa parecida: “Poesia, o perfume que exalas é tua justificação”. Não há amor fácil, mas todo amor é maravilha, saúde, “remédio contra a loucura”, coisa que Guimarães Rosa ensinou. É a experiência humana mais exigente. Não é contrato, troca de favores, investimento, é entrega  e compromisso.. Do “sacrificio” de amar nasce a mais perfeita alegria. Ninguém faz cara feia quando se sacrifica por amor. Não se trata de anulação, subserviência de quem ama, trata-se da morte do ego, tarefa a ser feita até o último suspiro.

Adélia Prado (depoimento dado a Revista Lola Magazine – Outubro/10)




inspirado na história de amor dos Cantarella imortalizada na escultura de Alfredo Oliani




Quando você chegou eu que nem sabia que ainda virias soube então que seria para sempre. E mesmo contra sua vontade ou minhas regras tolas, nada poderia nos separar, porque este amor é assim, indissolúvel. Agarra na pele como sanguessuga, cola feito grude, penetra como o aroma de bolo quente no forno, resiste a tudo. Até parece coisa feita, encomendada, porque vive e revive, constrói e se reconstrói sózinho, vive nele e dele mesmo. Não sei se temos outras vidas, ou vidas eternas, mas se existir é certo que ele viverá para sempre e além...






o ultimo adeus - história de amor do casal Cantarella

sábado, 3 de novembro de 2012

"respiro como os peixes num rio sempre corrente "

Pinterest




 O que será em verdade transparência
Se a matéria que vê, é opacidade?
Nesta manhã sou e não sou minha paisagem
Terra e claridade se confundem

E o que me vê
Não sabe de si mesmo a sua imagem.




Onde a palavra não cabe
fica o cheiro doce do silêncio
que enlaça o segundo de hesitação.

Eu tento articular a frase esperada
mas olho os olhos do espelho
e suspiro.
Nunca estou farta
mas às vezes espero novos sinais
pra saber que é a hora.
E estoco pensamentos doces
na tentativa de não enlouquecer.
Eu calo, paro, espero, fico
mas não durmo nunca
no caminho.
Sozinha.


do Blog não me conte seus segredos




Às vezes, quando estou de um jeito
que nem mais a tristeza incomoda
penso que minh’alma é uma escada.

Então vou subindo, palavra por
palavra... Separando as sílabas
conforme a capacidade de
armazenagem dos meus bolsos. Até
que a poesia acena para mim de
alguma janela.

E depois some como o vôo que fica na
memória
tamanha a beleza do pássaro
.

Lau Siqueira




É bom
aprender a pisar leve,

retirar o peso de paquiderme
dos pés,
comprar uma sapatilha
de bailarina.

É bom destituir-se dos colares,
das rendas, das alfazemas.
Soltar os cabelos ásperos
pelo vento mais seco,
mais farto,
deixá-lo criar raízes no ar,
como as canções que se prolongam.


do Blog Aeronauta





Carrego tristezas adormecidas, perguntas mal respondidas, uma eterna indignação, e um silêncio que grita. As vezes calar é confirmar, consentir, permitir livres interpretações. Passar por cima não significa entender, relevar. Simplesmente se segue. De vez em quando paro e tudo mistura e exclamações e interrogações pipocam na minha cabeça. Procuro uma janela, uma restia de sol, sufoco, sinto a brisa no meu rosto, e respiro...




crying, waiting, hoping - cat power