terça-feira, 11 de novembro de 2014

"Eu tenho corações fora do peito."

Um dia bem distante, o mês era setembro. A menina e seu primeiro amor.
Princesas encantadas, sapatinhos de cristal, bailes e vestidos bordados, 
novelas com finais felizes para sempre e beijos, aqueles beijos tão esperados. 
Como seria beijar? O que a gente faz quando uma boca encosta na outra?




Tumblir



Os laços são simbologias misteriosas. 
Muitas vezes sequer sabemos onde, quando e como se rompem. 
Mesmo assim a certeza do rompimento é um nó indisfarçável.

Lau Siqueira


"Many times I've been alone
And many times I've cried
Anyway you've always known
The many ways I've tried..."

The Beatles



Não descuide do meu amor
ainda que não te pareça
fácil
Que ele não curará teus males
mas segue sempre iluminando
teus caminhos.
Não descuide do meu amor
meu amor
hoje turbulento
mas sempre
dedicado.

Cuide.





Drop a dor,
Adore com ardor
E let go.
Comemore
Every hour,
Rod e rode,
Ore, chore
Por amor.
E se der, dear,
Se desarme
Ante o
Arrebatador.


Chris Ritchie



De repente o vento no rosto, a boca ressecada de ansiedade, o calor no corpo. 
A vontade de cuidar, de ficar perto. Não sei mais ir sem você.
Saimos juntos de certo modo e de maneira torta usamos alianças que nos prenderam como uma armadilha.
E era tanto amor, e quanto mais lhe dava mais vinha de um lugar que nunca estive antes.
Nos sonhos de menina não tinham me avisado que o amor é estado bruto. 
A realidade é viva, queima, parte e reparte.
Em cada pedaço o coração pulsa.



inspirado no belo verso da Cristiane Lisboa