quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

antes de ontem, antes de amanhã, antes de hoje, antes de mim... depois!







por do sol em algum lugar do Peru




(...) e há música
no que transborda

às vezes o silêncio
é vento apressado
 
lau siqueira



… que venha fevereiro, com seus tambores, sons e acordes, marcando o calendário em vermelho.






atendendo ao convite da Lunna, aquela que sempre me convoca e provoca!

terça-feira, 27 de setembro de 2016

quem não é um acaso na vida?


Gustav Klimt


Abro a porta, enfeito a casa deixo a luz entrar.

Cristiane Lisboa


Ismo.


É
apenas 
um instante
de perfeição, é
apenas um sopro.É
uma lógica caótica e 
doce.Pausado no teu ego. 
Curvado como quem reza diante 
do que interessa, sem vento, sem talento.
Intuitivamente. Sem fórmula. Salta-se e é infinito


http://bocadepoema.blogspot.com.br


Ja tinha previsto você...

Eu sei de você. Sempre soube. Mesmo antes.
Com todos os defeitos e efeitos. 
Com seu sorriso indecifrável e olhar que não revela seus segredos.
Sua voz de sons graves e suaves, quase um murmúrio.
Um toque direto, sabendo a direção, sem atalhos.
Sabia de você antes que chegasse.
Com cheiro de abismo.





segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a felicidade está numa caixa de bombons.



Banksy





Ser criança é sonhar
Ir a lua a cantar
E mesmo que caísse

Teria alguém para me apanhar

Bruno Miguel



Porque se a gente fala a partir de ser criança, a gente faz comunhão: de um orvalho e sua aranha, de uma tarde e suas garças, de um pássaro e sua árvore. Então eu trago das minhas raízes crianceiras a visão comungante e oblíqua das coisas. Eu sei dizer sem pudor que o escuro me ilumina. É um paradoxo que ajuda a poesia e que eu falo sem pudor. Eu tenho que essa visão oblíqua vem de eu ter sido criança em algum lugar perdido onde havia transfusão da natureza e comunhão com ela. Era o menino e os bichinhos. Era o menino e o sol. O menino e o rio. Era o menino e as árvores.

Manoel de Barros     



A mim que desde a infância venho vindo,
como se o meu destino,
fosse o exato destino de uma estrela,
apelam incríveis coisas:
pintar as unhas, descobrir a nuca,
piscar os olhos, beber.
Tomo o nome de Deus num vão.
Descobri que a seu tempo
vão me chorar e esquecer.

Adélia Prado



Vamos, não chores...
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.
O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.
Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis casa, navio, terra.
Mas tens um cão.
Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o 'humour'?

Carlos Drummond de Andrade




Naquele tarde tudo foi risos no parque de diversões. O carrossel com seus cavalos que correm sem sair do lugar, subindo e descendo. A paciência de minha mãe de responder com um sorriso aberto ao meu aceno todas as vezes que o brinquedo rodava. Ao ir embora levava comigo a  pipoca quente com manteiga derretendo, a bengalinha de plástico vermelha , branca e dourada feliz por ter tido aqueles momentos de encantamento. Mas na esquina tinha o homem com os balões de gás, tão coloridos que não conseguia olhar para mais nada. Queria muito aquele vermelho! Minha mãe me explicou que para tê-los eu precisava ser mais forte, minha mão era muito pequena para segura-lo. A resposta foram lágrimas e ela então cedeu. A felicidade foi instantânea, e fugaz. Não consegui prender o balão nos meus dedos e ainda hoje sinto a dor de vê-lo escapando lentamente , subindo ao céu e se perdendo dos meus olhos. O homem quis me dar outro, minha mãe não deixou. Como era sábia a minha mãe!




consolo da praia - drummond

Há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a felicidade está numa caixa de bombons.





Ser criança é sonhar
Ir a lua a cantar
E mesmo que caísse

Teria alguém para me apanhar

Bruno Miguel

quarta-feira, 24 de junho de 2015

" a manhã não depende de palavras "

Pinterest






Como repetir, dia seguinte após dia seguinte,
a fábula inconclusa,
suportar a semelhança das coisas ásperas
de amanhã com as coisas ásperas de hoje?


Carlos Drummond de Andrade





Toda a manhã que raia, raia sempre no mesmo lugar,
Não há manhãs sobre cidades, ou manhãs sobre o campo.
À hora em que o dia raia, em que a luz estremece a erguer-se
Todos os lugares são o mesmo lugar, todas as terras são a mesma,
E é eterna e de todos os lugares a frescura que sobe por tudo.


Alvaro de Campos



A que dorme em mim, a que tem sono, e se deita na cama a noite, não é a mesma que acorda. Tomo decisões noturnas que não se sustentam mesmo antes do café. Planejo acordar cedo, correr no parque, mas de manhã quem desperta, é outra. Sou habitada por uma verdadeira assembléia ruidosa. Meu corpo é vítima de fisgadas, tensões se espalham pelos meus ombros e eu sei que são desejos me puxando para lados contrários.

Elza Tamas



naquela manhã passei a apreciar o impossível, passei a apertar os olhos para ver raios solares com maior exatidão.


Stefanni Marion




quando ele me pega
fora de cena
escorrego no sol raiado
rosa-dos-ventos hasteada
leque tremeluzindo tod´água
vida é segurar por um triz
transversando
enfiando e fiando
a tração sobre os nós


Linda Graal




O tempo medido entre dias e noites, inicio e fim, seguindo com passos e descompassosvisitando novos mundos irreais,  sonho e realidade fantástica, e em seguida, o despertar! 
Sob a fluidez da fantasia me deparo com você, em sua essência, corpo e calor, a face verdadeira, uma onda doce que nos revira e traz a superficie.




let's get lost - chet baker

sexta-feira, 12 de junho de 2015

sempre quis tua mão colada na minha


pinterest




Ele

Já começa a beijar o meu pescoço
com sua boca meio gelada meio doce,
já começa a abrir-me seus braços
como se meu namorado fosse,
já começa a beijar a minha mão,
a morder-me devagar os dedos,
já começa a afugentar-me os medos
e dar cetim de pijama aos meus segredos.
Todo ano é assim:
vem ele com seus cajás, suas oferendas, suas quaresmeiras,
vem ele disposto a quebrar meus galhos
e a varrer minhas folhas secas.
Já começa a soprar minha nuca
com sua temperatura de macho,
já começa a acender meu facho
e dar frescor às minhas clareiras.
Já vem ele chegando com sua luz sem fronteiras,
seu discurso sedutor de renovação,
suas palavras coloridas,
e eu estou na sua mão.


Elisa Lucinda






Pois namorar é destino dos humanos,
destino que regula
nossa dor, nossa doação, nosso inferno gozoso.
E quem vive, atenção:
cumpra sua obrigação de namorar,
sob pena de viver apenas na aparência.
De ser o seu cadáver itinerante.
De não ser. De estar, e nem estar.

Carlos Drummond de Andrade





Ele vai me possuindo
Não me possuindo
Num canto qualquer
É como as águas fluindo
Fluindo até o fim
É bem assim que ele me quer
Meu namorado
Meu namorado
Minha morada
É onde for morar você

Chico Buarque






Da mesma forma que os monumentos históricos ou artísticos, as belezas naturais, os bailes e cafés, os parques e jardins - os casais de namorados são coisa que pertencem ao patrimônio de uma cidade. Uma cidade sem namorados públicos não é uma verdadeira cidade. Os cicerones de Paris costumam mostrá-los aos turistas, inteiramente despreocupados em suas ternuras, como típicas curiosidades locais. No Hyde Park, em Londres, é possível vê-los às centenas, sobre o gramado esmeralda desse parque inexcedível como se estivessem em casa. O transeunte margeia beijos intermináveis, abraços infinitos, olhares abissais, namorados que lêem romances, namorados que dormem, namorados que brigam, a um passo uns dos outros, perfeitamente indiferentes ao que lhes vai em torno, - e o que é formidável - guardados da curiosidade, ou malícia alheias, por um passante constable, cuja função é zelar pela perfeita consecução de seus carinhos, com uma imparticipação e fidelidade dignas de todos os aplausos. 

Vinicius de Moraes





Namorar é chamego, é beijo na boca, abraço rodado, andar de mãos dadas. Namorar é aconchego, banho morno, dia de sol, chocolate ao leite. Namorar é pipoca na cama, dançar na rua, brigadeiro aos domingos. Namorar é despedida no portão, é beijo quando chega, é dengo na hora do amor. Namorar é o melhor jeito de amar.



xuxuzinho - rita lee

sábado, 6 de junho de 2015

" Minha asa está pesada, tem alguém em cima dela."


Pinterest 






Acordou cedo, levantou, andou e deitou. Carinhosamente procurou um pedacinho da cama, achegou, tentou ficar em silêncio mas seu ímpeto de fala é maior que um elefante. Elefantes na India são símbolo de proteção. Mas a fala tinha um tom invasivo. Quebrando o silêncio da manhã, o elefante caminhava rumo ao juízo.
Estática ficou. Fingir-se de morta sempre foi uma tática de sobrevivência. 
Precisou ressuscitar. 





(...)também tropeço frequentemente
remato pedras
percorro passeios sem passear
passeio-me nos dias que me atropelam
torço o tornozelo
desequilibro-me na paisagem
ora ando por andar, ora passeio a sorrir, a cantar
frequentemente vôo ao sabor das emoções
de asa partida descrente
contra o vento
em vôo picado
flutuando na espuma do rebentamento...
E tu como andas?



Sou uma alma insubmissa
Do escuro nascida
De asa partida
Sem trancas na porta
Nem chaves no coração
Sobrevivente dos subterrâneos
Onde a vida morreu
E a esperança nem sequer nasceu
O meu caminho foi feito de pedras
E notas dissonantes de flauta quebrada
Vivi no silêncio, por mão sufocada
Mas levantei-me um dia
A escuridão abortou de mim

carmen cupido



Então é você
tua simples presença
preenche a minha existência
me faz ver o que eu não via.
E quem diria?
ainda melhor

alice ruiz





No dia que criei asas parti sem planos nesta minha vida tão pragmática, pela primeira vez não senti o chão aos meus pés. Mas os balões de gás estouraram, e aprendi o caminho das pedras. Pés cortados e mãos aprendendo a colar pedaços. Carne viva, em brasa, pele e cheiro, vibrando com você, engolindo o vento, respirando seu oxigênio. Minha vida dividida entre antes e depois, claro e escuro, turbulência. Nos misturamos.
... e agora quem somos nós?





we all fall in love sometimes - jeff buckley