as aventuras de emilia...



Emília
     “Emília foi feita por tia Nastácia, com olhos de retrós preto e sobrancelhas tão lá em cima que é ver uma bruxa. Apesar disso Narizinho gosta muito dela; não almoça nem janta sem a ter ao lado, nem se deita sem primeiro acomodá-la numa redinha entre dois pés de cadeira”. 
(Apresentação da personagem no quarto parágrafo do livro Reinações de Narizinho).
     Emília era muda até engolir uma pílula falante dada pelo doutor Caramujo. “Emília engoliu a pílula, muito bem engolida, e começou a falar no mesmo instante. A primeira coisa que disse foi: ‘Estou com um horrível gosto de sapo na boca!’ E falou, falou, falou mais de uma hora sem parar. Falou tanto que Narizinho, atordoada, disse ao doutor que era melhor fazê-la vomitar aquela pílula e engolir outra mais fraca”.


A vida, Senhor Visconde, é um pisca-pisca. A gente nasce, isto é, começa a piscar. Quem pára de piscar, chegou ao fim, morreu. Piscar é abrir e fechar os olhos – viver é isso. É um dorme-e-acorda, dorme-e-acorda até que dorme e não acorda mais. É portanto um pisca-pisca.


(…) – Crocotó é uma coisa que a gente não sabe o que é. Crocotó é tudo que sai para fora de qualquer coisa lisa. O seu nariz, por exemplo, é um crocotó da sua cara – mas como sabemos que nariz é nariz, não dizemos crocotó. Mas se nunca tivéssemos visto o seu nariz, nem soubéssemos o que é nariz, então poderíamos dizer que o seu nariz era um crocotó…

” (…) Verdade é uma espécie de mentira bem pregada, das que ninguém desconfia. Só isso.”

(…) – A loucura é a coisa mais triste que há…
- Eu não acho – disse Emília – Acho-a até bem divertida. E, depois, ainda não consegui distinguir o que é loucura do que não é. Por mais que pense e repense, não consigo diferençar quem é louco de quem não é. Eu, por exemplo, sou ou não sou louca?
” – Pois eu tenho uma ideia muito boa, disse Emília: Fazer o livro comestível.
(…) Em vez de impressos em papel de madeira, que só é comestível para o caruncho, eu farei os livros impressos em um papel fabricado de trigo e muito bem temperado. A tinta será estudada pelos químicos – uma tinta que não faça mal para o estômago. O leitor vai lendo o livro e comendo as folhas; lê uma, rasga-a e come. Quando chega ao fim da leitura, está almoçado ou jantado.”  (A reforma da natureza)






Os livros de Monteiro Lobato marcaram minha infância, o Sitio do Pica Pau Amarelo marcou uma geração. Mas eu ja o conhecia, herdei toda Coleção do meu primo mais velho.
A Emilia sempre me fascinou, com sua personalidade forte, falante, e uma sabedoria inquietante. Emilia tem uma ingenuidade maldosa que todos temos dentro de nós, ao mesmo tempo que representa um ideal infantil tem a astúcia de um adulto, pois seria ela, o alter ego do autor.

Comentários

  1. Pois é, nós temos grande personagens que habitam nosso imaginário que nem sempre sabemos dar o valor merecido. O caso da Emília não é este, é claro, uma vez que ela é mais que reconhecida aqui entre nós.

    Pena que ela é muito mocinha pra ser mina do cara... Rs.

    um beijo

    ResponderExcluir
  2. Não conheço...mas agora tu despertas-t o meu interesse vou pesquisar..um bom dia querida..

    ResponderExcluir
  3. Nunca gostei do Sítio e dos livros dele, mas tem muita gente que gosta. É bom pra criançada.

    ResponderExcluir
  4. Emília era uma torneirinha de asneiras, como dizia Narizinho.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  5. Sabor de infância...

    ResponderExcluir
  6. Ganhei a coleção da minha mãe quando criança, mas tudo ficou lá, registrado naquele tempo. Nem sei aonde os livros foram parar...

    ResponderExcluir
  7. Adoro Sítio do Picapau Amarelo, é uma obra literária - e televisiva - incrível! Me prendeu muito quando eu era criança, e ainda hoje vejo muito do que penso nas palavras de Monteiro Lobato. Estou seguindo, me siga também ok? Beijos!

    http://biacentrismo.blogspot.com - @biacentrismo

    ResponderExcluir
  8. Boa noite, menina dos retalhos, cortou e recortou as minhas lembranças de infancia, assistia sempre o sitio do pica pau amarelo e nao perdia nenhum capitulo...livros, nao li muitos, pois achava complexo a leitura e hoje em dia, nao me fascina tanto...Mas com teus recortes eu consegui reconstruir os dias em que assistia tv. junto de mues 6 irmãos, engraçado que a tv. era preto e branco e só podiamos assistir pela manhã, as vezes, sessão da tarde, mas sempre estavamos na rua brincando, depois das tarefas escolares, enfim, retalhastes as minhas memorias tao bem, que ate me emocionei...snif...snif...Mas amei, belo post. de recortes que se transformou num livrinho de memorias, nao da emilia, mas de Long haired lady...Te adoro...bjin

    ResponderExcluir
  9. Seu blog é lindo! Agradeço a visita ... bjus

    ResponderExcluir
  10. Ai que delícia de postagem! Que blea sacada! Te aplaudo Lady!
    Vc é Luz!

    Beijo de Fogo viu!
    Emilia é eterna assim como cada personagem do Mestre Lobato! grato pela lembrança doce!

    ResponderExcluir
  11. Adoooooooro Emília e todo sítio!!!!
    Morrendo de saudades e aina sofrendo pelo desencontro.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  12. O Sítio do Pica Pau Amarelo marcou demais!
    "Emilia tem uma ingenuidade maldosa que todos temos dentro de nós." Certamente.

    ResponderExcluir
  13. Eu, além de ganhar a coleção do meu pai na minha infância, não perdia um só dia o sitio pela TV.
    Ahhh, que saudade da minha infância sadia.
    As crianças de hoje não tem isso!

    Eu amavaaaaaaa todo mundo, até a mala da Cuca hehehe.

    Beijoooo minha flor!

    Uma querida você!

    ResponderExcluir
  14. Obrigada pela sua visita e comentário no meu blog, você sabe como nós, blogueiras, ficamos felizes com isso! :)

    Emília, a boneca de pano que sempre existirá em nossos corações!
    Bateu uma saudades dos livros do Monteiro Lobato!

    Um grande abraço,
    Carol :)
    http://bembemsimples.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Coincidência, estou com eles ao meu lado, mas ganhei-os de minha mãe. Estou folheando e preservando-os. Um abraço :))), Yayá.

    ResponderExcluir
  16. Assim que vi o título me inquietei. Confesso. Não gosto do Sr. Lobato. Comecei a ler suas histórias infantis por obrigação (talvez seja esse o drama) no colégio disseram que era coisa pra minha idade. Eu já lia Jane Austen, Emily Dickinson, não queria saber de histórias de sabugos e bonecas de pano. kkkkkkkkkkkkkkkkk

    bacio

    ResponderExcluir
  17. O que eu mais gosto é Emília no país fa Gramática =)

    Foi o livro que mais me surpreendeu de Monteiro Lobato, pela lucidez com que abordou um tema ainda tão complexo mesmo nos dias de hoje.

    Bjs!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

"Cecilia Meireles"

Postagens mais visitadas