"Que medo alegre, o de te esperar."

foto : Matt Hardy


O que precisa nascer
tem sua raiz em chão de casa velha.
À sua necessidade o piso cede,
estalam rachaduras nas paredes,
os caixões de janela se desprendem.
O que precisa nascer
aparece no sonho buscando frinchas no teto,
réstias de luz e ar.
Sei muito bem do que este sonho fala
e a quem pode me dar
peço coragem.
Adélia Prado


Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu. 
Caio Fernando Abreu.

Obrigada por insistir para eu voltar pra você, para eu deixar de ser adolescente e aceitar uma vida a dois, uma família, uma serenidade que eu não suspeitava. Eu não sabia que amava tanto você e que havia lhe dado boas pistas sobre isso, como é que você soube antes de mim?
Martha Medeiros

Tempo do corpo este tempo, da fome
Do de dentro. Corpo se conhecendo, lento,
Um sol de diamante alimentando o ventre,
O leite da tua carne, a minha
Fugidia.
E sobre nós este tempo futuro urdindo
Urdindo a grande teia. Sobre nós a vida
A vida se derramando. Cíclica. Escorrendo.
Hilda Hilst


Minha vida com você é trailler – são os trechos emocionantes, empolgantes, os melhores e os que fazem vontade demais de mais.





E foi aos poucos, não foi a primeira vista, não foi de ocasião, foi como um balão de gás que vai enchendo aos poucos e depois quando o soltamos, busca o infinito. O amor tomou conta de mim, da minha vida, da minha razão , fora dos meus planos. Foi um susto para mim também. Fico imaginando para você, livre, sem planos e com todos os planos ainda, sem amarras, sem querer ser de ninguém , abraçando o mundo. Mas ali, bem escondido, eu sentia seu querer, seu calor, sua vontade de ser um dia, o amor dormindo...

Comentários

  1. O que precisa nascer
    aparece no sonho buscando frinchas no teto

    ResponderExcluir
  2. Fico com Adélia: peço coragem.
    Ontem li uma declaração de amor que me fez lembrar de você, olha aqui: http://cheriaparis.blogspot.com/2009/07/ela-estava-la.html

    ResponderExcluir
  3. Eu não sei esperar, vou me perdendo de mim me perdendo dele que não está nunca onde eu vou.

    ResponderExcluir
  4. Também não sei esperar tanto assim... admiro muito você por isso!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  5. Acho que isso chama-se serenidade.

    ;)

    Um beijo grande.

    ResponderExcluir
  6. Esse texto do Caio Fernando é muito a minha cara, pelo menos agora...
    Gostei do blog, vou passar aqui mais vezes.

    E obrigada por comentar no Café de Fita ;*

    ResponderExcluir
  7. Hilda me lembra muito você... ou é o contrário, não sei.

    Bjs! Mais um lindo post.

    ResponderExcluir
  8. Ótimo post...muita coisa boa!! Difícil até de comentar..rsrsrs

    []s

    ResponderExcluir
  9. A sua fala "ganhou" de todos,
    Bjs,

    ResponderExcluir
  10. Boa noite, e como retalhar, colar e construir tanta serenidade e vontade de amar? Não sei, eu mesma me perdi em sonhos e devaneios, agora o que me resta, são colar os pedaços que restaram desse amor e tentar reconstruir de outro jeito, pois bem sabes, que meu amor vale por dois...Linda como sempre te ovaciono de pé...Parabens! Teus retalhos com um grande finale teu!!

    ResponderExcluir
  11. Maggie que lindo o seu blog, simplesmente adoro ler textos viajo nas palavras!
    Vi seu comentário lá no Dona Charmosa e gostaria de te convidar a dividir a sua história de amor com as minhas leitoras. Tenho um tópico lá no blog super legal, No divã com a charmosa, aonde respondo aos email's que recebo. Gostaria muito de conhecer a sua história de amor, suas palavras me deixaram curiosa. Se você preferir não se identificar não tem problema, garanto o sigilo.

    Desde já agardeço pela visita e espero te evr por lá novamente. já virei sua fã e estou te seguindo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Que entrega.
    De todas as formas que a poesia pede.
    Amei.

    Beijinho querida.

    ResponderExcluir
  13. Medo alegre é a ansiedade de estar em cena e fazer o papel principal, rsrs. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  14. Incrível o post... Caio é Caio, não há o que comentar.
    Adorei a fotografia do post, muito linda.

    Ótimo restinho de semana para ti, beijo!

    ResponderExcluir
  15. Sabe que eu sempre achei que iria ser apenas eu e mais ninguém. Sem amor, sem nada. Então um dia o amor desceu a ladeira, olhos nos meus olhos, sorriu e me abraçou. Eu já o sabia desde sempre. Hoje a gente anda de mãos dadas, sorrindo um para o outro e faz cócegas. rs

    bacio

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

"Cecilia Meireles"

Postagens mais visitadas