"E quem vende outro sonho feliz de cidade
 aprende depressa a chamar-te de realidade"


avenida paulista - 1891



Avenida Paulista

Todos os estilos ancoraram no cais mole
do asfalto fidalgo...
Dentro daquele parque
fuma goiano um califa enriquecido
com uma fábrica de alpargatas da rua 25 de Março.

O sr. Conde está bebendo Chianti
servido por um criado de libré.

Até as colunas de mármore são de cimento armado.

E domingo, em Roles Royce ou em Ford
passaremos em revista
na parada do corso
todos os candidatos à consagração da Avenida.

Menotti del Picchia



Eu morri ontem à noite. Dei-me conta disso quando, de repente, me vi andando pela avenida Paulista, debaixo de uma garoa fina, andando por andar, sem rumo certo, sem lugar para ir. Percebi, então, que eu tinha morrido. Foi de repente, uma espécie de punhal no coração. Um punhal reluzente, de afiada ponta, dessas certeiras, traiçoeiras, que fazem todos os sonhos desaparecer para sempre. Foi de repente e só me dei conta quando, na avenida Paulista, andava a esmo à procura de mim, do que restou de mim. O que foi feito de mim ? Perguntei-me algumas vezes. O que foi feito de mim ? Não me soube responder. Mas sentia em mim o tamanho do ferimento e o tamanho da noite por viver.

Álvaro Alves de Faria



A Avenida Paulista pela noite. Uma loira senta na escada e espera o lotação. No meio de uma aparente melancolia, passa um cão e ela solta um sorriso. A poucos metros dela um músico solitário toca o saxofone, a doce melodia de seu jazz se mistura com o som caótico dos carros. Dessa síntese nasce uma paisagem sonora única. Entre o barulho do urbano ainda há espaço para a beleza.

Bartolomeu Parreira Nascimento







Olho para o alto e vejo uma mistura de estilos arquitetônicos, me perco em suas calçadas por entre pessoas que passam apressadas. Todas as vezes que passo pelo velho casarão fechado imagino quantas vidas habitaram aquele palacete. Sinto a pulsação da cidade e me perco em sua escala.
São tantas tribos , tantos tipos, existe uma democracia em seus personagens tão comum em avenidas cosmopolitas. 
Respiramos arte, e fumaça ao mesmo tempo mas é sempre encantadora com tantas atrações.
Foi lá  num dia de chuva, que encharcados,  nos beijamos em baixo de uma marquise...




Comentários

  1. "...Da força da grana que ergue e destrói coisas belas, Da feia fumaça que sobe apagando as estrelas, Que eu vejo surgir seus poetas de campos e espaços..." é realmente encantador... vou me planejar e rever tudo isso...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. eu preciso conhecer...super beijo querida..te adoro.

    ResponderExcluir
  3. é uns dos lugares q mais gosto de ir =)

    ResponderExcluir
  4. Perceber a beleza das cidades é algo mágico!

    ResponderExcluir
  5. Oi Maggie!
    Isto sim é que é viver poesia, até onde outros vêem caos. Lindo todo o conjunto de textos para descrever tão viva avenida.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  6. aiai... que saudades de sao paulo... logo logo to chegando...
    beijo

    ResponderExcluir
  7. Que texto lindo! *_*
    Você é muito talentosa! Obrigada pelo carinho!
    Volte sempre, beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá Maggie, que tudo permaneça bem contigo!

    Postagem em homenagem a bela Avenida Paulista feita com deveras talento e sensibilidade, muito bom os textos postados, e expressam deveras teu enorme talento. Parabéns pela postagem e por compartilhar com os amigos. Também agradeço por tuas sempre tão gentis visitas e generosos comentários, e deixo meu desejo que você e todos ao teu redor tenham um viver tão intenso quanto feliz, abraços e até mais!

    ResponderExcluir
  9. Linda homenagem Maggie, fechou bem bonito confessando o beijo e o começo.

    ResponderExcluir
  10. Não sou paulista mas adoro essa música.

    ResponderExcluir
  11. Oi,Maggie!Ainda não conheço sampa,mas quero muito conhecer, acho que como uma boa menina do interior ovu ficar deslumbrada com toda a magia e loucura de uma cidade como sampa.
    Beijossss

    ResponderExcluir
  12. Amo de paixão minha Av. Paulista. Estou lá todos os dias. Trabalho na Alameda Santos e passo um bom tempo vendo o trânsito lá do alto. Assisto de camarote todas as manifestações que lá acontecem. Adoro!!! Lindo seu texto.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  13. Preciso urgentemente respirar a fumaça daí. Saudade até disso.
    Girassóis nos seus dias. Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Nunca estive em São Paulo, mas vou lá já em janeiro. E "Sampa" foi uma das músicas que fizeram de mim uma apaixonada por MPB...

    ResponderExcluir
  15. Oie lindona


    Linda a sua São Paulo.

    Lindona, boa viagem, se cuida aí, meu carinho.
    Um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  16. São Paulo terra de arranha céu...
    Não me pertence, mas é um lugar que eu adoro estar...

    Abraços Imundos.

    ResponderExcluir
  17. lindo esse amor declarado a São Paulo.
    Um beijo Maggie

    ResponderExcluir
  18. Essa semana eu vi uma reportagem da Av. Paulista, e lembrei de mais do teu post.

    Beeijo menina"

    ResponderExcluir
  19. Olá,td bem?
    Viagei agora entre suas palavras... Saudades de tantas coisas...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  20. adoro são paulo...principalmente a magestosa avenida paulista...

    lindo post...

    bjo..


    Zil

    ResponderExcluir
  21. O cenário perfeito pra ser selado com um beijo.

    Abraços querida!

    ResponderExcluir
  22. Lindo, lindo, sublime!
    Paulista, garoa e um amor...
    adorei mesmo!

    ResponderExcluir
  23. Nossa sou apaixonada por São Paulo, coisa linda sta foto de 1891, da Av Paulista =)
    adoreiiiiiiiii
    bjos

    ResponderExcluir
  24. Adorei. Posso levar comigo para a edição de janeiro da revista? Diga que sim...

    bacio

    ResponderExcluir
  25. Adorei, posso levar comigo lá para a segunda edição da revista? Diga que sim, não seja malvada...

    bacio

    ResponderExcluir
  26. Nunca fui a São Paulo, mas deve ser lindo.
    Seguindo flor.
    Post novo, comenta? Girl Teen
    Conheçe e segue: Pensamento sem fim

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

"Cecilia Meireles"

Postagens mais visitadas