" Tudo é muito mais bonito quando é inevitável."

foto: Nan Goldin





E quando eu olho o mundo assim de tão longe, tenho a impressão de enxergar todas as músicas que soaram quando eu não fiquei em silêncio.
Já faz um tempo que eu consigo ganhar tudo aquilo que um dia, eu optei por perder.

do Blog Cadeira Vazia




eu gosto de fechar os olhos e sentir o vento gelado e a força de um carro correndo bem rápido na estrada.
gosto de observar gatos.
eu gosto de sentir o amortecimento nos meus braços quando ouço uma música que me emociona.
gosto de sentir sufocar com uma música envolvente como uma cobra.
gosto do urbano e gosto da solidão do escuro e do silêncio de um lugar afastado da humanidade
gosto da cidade mas não gosto de humanos








A borboleta vive nessa relação do novo com o velho. Encapsulada no casulo está o corpo maduro que, na hora adequada, se livra da carapaça e, com asas novinhas, ganha o infinito das possibilidades.

"Devo seguir o caminho das borboletas" -pensou. E em poucos instantes, lá estavam elas, batendo as asas e a conduzindo para uma saída. Pouco importava se era a ideal, a esperada, a única. Mas era a possível naquele momento.

Tetê Cruz




Pare… Perceba o mundo a sua volta. Inspire! Encha os pulmões de revolta. Permita que o líquido subversivo penetre em todas as moléculas de seu corpo. Perceba seu corpo. - O que ele faz que uma máquina não faça melhor?  - Então dance. Gire. Rodopia. Até sentir vertigem. Ter náusea deste mundo. Grite. Faça com que este mundo pare.  Faça bom uso de suas cordas vocais. Grite mais. Grite mais alto. Dissemine a discórdia, a dúvida. Questione.

do Blog Ilusões
Eu adoro questionar, perguntar, saber. Costumava fazer tantas perguntas que meus pais me compraram uma coleção com livros: Por que? Para quê? Como funciona? Onde fica?
Sempre que alguém me impôs algo quis saber a razão.
Mas um dia esqueci de fazer perguntas, não sei a razão, simplesmente deixei de fazê-las.
A vida seguiu o curso, continuei fazendo coisas que me davam prazer, outras que não davam e achava que isso era inevitável.
Até que um dia alguém me fez uma pergunta que não soube responder, se eu era feliz...
Ai virei borboleta, criei asas, e vi que viver intensamente é sempre a medida de ser feliz, não existe pulsação onde não existem cores e desejos.




metamorfose ambulante- raul seixas

Comentários

  1. As vezes tenho medo dessa pergunta "será que sou feliz?" ...
    Talvez seja hora de virar borboleta novamente, alçar novos voos e visualizar novos horizontes...

    ResponderExcluir
  2. E viver como se cada segundo fosse o ultimo, e depois poder olhar para trás e dizer que tudo valeu a pena. Para mim ser feliz é assim...

    Beijos*:

    ResponderExcluir
  3. Oie lindona.


    Aiai rsss tava escutando agora a pouco Metamorfose Ambulante e Tente outra vez do Raul aí chego aqui, e encontro ela, é querida, não existe mesmo vida onde não se é possível mais sonhar.


    Beijos querida minha, um fim de semana, cheiinho de tudo que te faça feliz.

    ResponderExcluir
  4. vc é borboleta de asas coloridas que vive a intensidade dos dias...

    beijos

    ResponderExcluir
  5. Viver cada dia intensamente dando valor ao que realmente tem valor, as pequenas coisas, gestos, palavras, carinhos...
    Para você um lindo final de semana!
    Abs,
    Débora

    ResponderExcluir
  6. Boa noite querida, talvez um dia, amadurecida suficientemente, eu resolva sair do meu casulo, agora estou apenas galgando e me descobrindo, quem sou e o que quero da vida...Bjin

    ResponderExcluir
  7. Oi querida..minha net esta uma desgraça..tem dias que é absolutamente imóvel..sofrendo viu..quase nem consigo comentar..fazer posts um desafio....saudades de tu..super beijo.

    ResponderExcluir
  8. adorei seu blog
    e ja estou seguindo pode conferir
    me ajuda e me segue tb ?

    www.makepopular.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. eu vivo intensamente...decididamente vivo....e sei que você também!!

    Lindíssimo este seu post....aliás, como sempre!

    Um beijo carinhoso e ótimo final de semana!

    Bia

    ResponderExcluir
  10. A liberdade está exatamente em vivermos o inevitável ou não?

    Beijos e boa noite querida!!

    ResponderExcluir
  11. Nao tenho coragem de perguntar se sou feliz, apenas procuro prestar a devida atenção no meu sentir. Percebo que sinto e então isso basta. Preocupa-me eh descobrir um dia que deixei de sentir.

    Beijos! Ótima colheita!

    Suzana/LILY

    ResponderExcluir
  12. Nunca é demais viver intensamente a vida

    ResponderExcluir
  13. Oi Maggie!
    Sinceramente, apesar do que muito se fala em poder das palavras, ao ouvir perguntas sobre se sou feliz, não gosto de responder, não me acho feliz. Também acho que sou assim, pois muito questionei, quando se quer ir ao fundo das coisas nem sempre as respostas são satisfatórias.C' est la vie!rss
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  14. é...fiquei absolutamente emocionada com esse post...


    bjo querida...


    Zil

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. A curiosidade aumenta substancialmente o conhecimento e consequentemente leva-nos a questionar o que é a felicidade.

    Conforme tu, amiga, penso que viver "on the edge" AGORA, faz a diferença, uma vez que hoje pode muito bem ser o primeiro ou o último dia das nossas vidas.

    Gostei imenso.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  17. A felicidade é o melhor caminho de levar a via a sério.

    Um beijooO*

    ResponderExcluir
  18. E questionar é o que faz de nós cientes de nossa felicidade. Ninguém é feliz na alienação. Não de verdade. Beijo!

    http://biacentrismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Eu ainda estou na fase dos questionamentos, embora nem sempre tenha paciência pra isso.

    Tem dias em que só deixo fluir...e sinto que ganho com isso.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Tomar a intensidade como a única verdade.Fruir,ser feliz é também delinquescer,optar pelo novo,porquê,apenas ousando se pode viver,encontrar uma medida que estabeleça uma outra arremetida,que se reelabore,que seja um renovo,que faça com que nos sigam as pegadas nos centros e nos arredores,que dinamite as zonas de conforto aonde somos apenas estatísticas,um número ou uma fração,para uma burocracia casuística.

    ResponderExcluir
  21. Eu também gosto de questionar,mas gosto mais ainda de olhar e observar.
    Gosto de sentir a música,o momento,a vida e os questionamentos sempre nos dão essa sensação de busca,de coisa nova.
    Amo essa música!!!!
    Abração Maggie e uma semana bem alegre pra vc,=)

    ResponderExcluir
  22. Adorei tudo que li aqui, quanto encanto!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

"Cecilia Meireles"

Postagens mais visitadas