Doidas e Santas


Martha Medeiros


Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor mas ... permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza.


Namoro é como o disco “Sgt. Peppers”, dos Beatles: parece antigo e, no entanto, não há nada mais novo e revolucionário. O poeta Carlos Drummond de Andrade também é de outro tempo e é para sempre. É ele quem encerra esta crônica, dando-nos uma ordem para a vida: “Cumpra sua obrigação de namorar, sob pena de viver apenas na aparência. De ser o seu cadáver itinerante".


E ter o amor rejeitado, nem se fala, é fratura exposta, definhamos em público, encolhemos a alma, quase desejamos uma violência qualquer vinda da rua para esquecermos dessa violência vinda do tempo gasto e vivido, esse assalto em que nos roubaram tudo, o amor e o que vem com ele, confiança e estabilidade. Sem o amor, nada resta, a crença se desfaz, o romantismo perde o sentido, músicas idiotas nos fazem chorar dentro do carro.



Sou pães, queijos e vinhos, os três alimentos que eu levaria para uma ilha deserta, mas não sou ilha deserta: sou metrópole.
Sou bala azedinha. Sou coca-cola. Sou salada caprese. Sou camarão à baiana. Sou filé com fritas. Sou morango com sorvete de creme. Sou linguado com molho de limão. Sou cachorro-quente só com mostarda e queijo ralado. Do churrasco, sou o pão com alho.
Sou livros. Discos. Dicionários. Sou guias de viagem. Revistas. Sou mapas. Sou Internet. Já fui muito tevê, hoje só um pouco GNT. Rádio. Rock. Lounge. Cinema. Cinema. Cinema. Teatro.


Se não era amor, era da mesma família. Pois sobrou o que sobra dos corações abandonados. A carência. A saudade. A mágoa. Um quase desespero, uma espécie de avião em queda que a gente sabe que vai se estabilizar, só não se sabe se vai ser antes ou depois de se chocar contra o solo. Eu bati a 200 km por hora e estou voltando á pé pra casa, avariada.

Martha Medeiros - falamos demais, gesticulamos demais, queremos demais, amamos demais. Somos ainda bastante superlativas.



inspirada numa certa Borboleta, resolvi postar no mês dedicado as Mulheres, aquelas que sempre me falam.

Comentários

  1. Martha em toda sua profundidade.
    Um texto muito intenso por certo.

    Um beijo minha querida.
    Com carinho.
    Fernanda

    ResponderExcluir
  2. Se não era amor, era da mesma família :)

    ResponderExcluir
  3. Olá Lady!!!

    Obrigada pela visita!

    Lady tu viu o programa? Eu gostei demais do debate proporcionado, e achei tão interessante que fiz o vídeo(acredito que isso é notório). E sim, este é o nosso problema, querer sempre mais, não estarmos plenamente satisfeitas com absolutamente nada, sempre algo precisa melhorar e/ou mudar.

    Sobre o seu post:

    Super interessante a análise, é o namoro por mais antigo que seja, sempre provoca as mesmas reações, e sempre nos vemos obrigadas a agradar o outro com a nossa beleza física, e quando não nos sentimos seguras disso, ficamos inseguras com a relação. Mas é como eu já disse, Amor, sentimento que provoca a maior alegria em alguém, e ao mesmo tempo a sua maior tristeza.
    Sempre em algum momento iremos nos entregar as emoções das palavras, a intensidade dos sentimentos, e ao calor que isso provoca em nós, somos ao mesmo tempo masoquistas e sadomasoquistas, quando o assunto é amor e amar.

    Abraços e volte sempre!!! =)

    ResponderExcluir
  4. Deve ser da mesma família mesmo... porque o estrago é igual!

    Beijos na alma.. no coração..

    =)

    ResponderExcluir
  5. Se não era amor, era da mesma família. EU gosto desse amor falado sem culpas ou preconceitos. Gosto do amor que não faz sofrer e permite viver apenas enquanto se sente e sendo assim é para sempre. rs
    Nem preciso dizer que Martha Medeiros figura na minha lista "necessária"? rs
    bacio

    ResponderExcluir
  6. Belissima a intensidade do texto,,,penso que de tudo,,,sempre estará a carencia...grande beijo de bom dia pra ti.

    ResponderExcluir
  7. seu blog é bem legal!!!! retribuindo a visita e querendo voltar mais vezes.. beijoos e se cuida!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Bom dia!

    O texto de Martha Medeiros é sempre um gosto e prazer para as leitoras. Texto rico e com citações maravilhosas! Adorei. Obrigada!


    Beijos com carinho e ótimo dia.

    ResponderExcluir
  9. Sou suspeita para falar da Martha adoro tudo o que ela escreve e me identifico muito ocm os textos dela.
    Um ótimo dia!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  10. Toque principalmente nos meus cabelos...ai,ai, ai.

    ResponderExcluir
  11. retribuindo a visita....adorei seu blog e jah estou segiindo.
    muito bom seu post, perfeito!

    bjãO!

    ResponderExcluir
  12. "…Se não era amor, era da mesma família. "
    ADOREI!


    Cinthya
    http://odivaadellas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Namoro é como o disco “Sgt. Peppers”, dos Beatles: parece antigo e, no entanto, não há nada mais novo e revolucionário.


    hahahah, e é mesmo! uma total bagunça!


    Um beijo

    ResponderExcluir
  14. Oh, que delicia ler Martha, né?
    Queria ter todos os livros dela.
    Obrigada por me ofertar com esse texto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Esse é maravilhoso!!

    beijos ;)

    ResponderExcluir
  16. Retribuindo o carinho da visita que
    você me fez amiga.
    Bj.

    ResponderExcluir
  17. O amor é e sempre será atual!
    São tantas voltas que damos e acabamos por chegar no mesmo lugar...
    O amor.
    Beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  18. Oiiiii

    Não quero um amor romântico. Quero um amor que tire de mim o fôlego e faça meus pés sairem do chão!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  19. Eu ainda acho que era amor. Não haveria de ser outra coisa.

    Abraço meu.

    ResponderExcluir
  20. Perfeito chegar aqui e encontrar Martha. E o livro também, Doidas e Santas, é sem dúvida um manual das nossas verdades, vontades e jeitos. Parabéns pela escolha de post. Beejo,beejo.

    ResponderExcluir
  21. A todos pode acontecer um "acidente"... Devemos saber lidar com isso e ultrapassar com serenidade a situação.


    Beijos,
    AL

    ResponderExcluir
  22. "parece antigo e, no entanto, não há nada mais novo e revolucionário."

    "Sem o amor, nada resta, a crença se desfaz, o romantismo perde o sentido."

    O amor é a base de tudo! É o que se tem, é o que
    se falta!

    Bjaum flor.*.*.

    ResponderExcluir
  23. Sendo bem verdadeira: Nunca li mais do que meras citações de Martha Medeiros. A Sil que, gosta muito dela e, sempre utiliza alguma citação em suas postagens. Ela tem influenciado para que eu saiba quem é a Martha. Vê-la aqui, só me faz ter certeza de que essa é a hora.
    Bjin,
    K.

    ResponderExcluir
  24. Se não é amor... não tenho dúvidas que seja!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  25. Tudo de bom esse post!!!!

    Amei!!!!!!


    meu carinho!


    Zil

    ResponderExcluir
  26. "Não era amor, era melhor."

    Adoooooro demais! Sempre um prazer e uma aula ler a Martha!

    Beijo, querida!

    ResponderExcluir
  27. …Se não era amor, era da mesma família...


    Amei...


    Beijos

    Ani

    ResponderExcluir
  28. Sabe que eu descobri martha faz pouco tempo? Ainda estou me acustumando com a escrita dela..mas adoro..bjs ..xiii...não estou acustumado a ser o ultimo aqui..rs..eta letrinha grande..rste adoro

    ResponderExcluir
  29. Amor rejeitado = fratura exposta.
    Bela alegoria.

    ResponderExcluir
  30. Queridona, mandou super bem na escolha do conteúdo. Marta é sempre mt bom.
    Namorar, então!
    Bjocas

    ResponderExcluir
  31. confesso que eu não gostava dela no começo..
    era um preconceito bobo mesmo.
    hj vejo que ela escreve mto sobre oq a gente pensa, né? ;)

    ResponderExcluir
  32. Ameeeei o post
    Não conhecia a marta, mas adorei *-*
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  33. os textos da Martha Medeiros são simplesmente excelentes! Parabéns pela escolha!! Beijos

    ResponderExcluir
  34. Do you drink Coke or Pepsi?
    ANSWER THE POLL and you could win a prepaid VISA gift card!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

"Cecilia Meireles"

Postagens mais visitadas